16 junho 2014
Categoria: NeuroNews
16 junho 2014,
 Off

Por Prof. Dr. Orlando G P Barsottini**

Widmann e Heneka, ambos da Universidade de Bonn, na Alemanha, publicaram na Lancet Neurology este ótimo artigo, que chama a atenção para as possíveis consequências da sepse, para os pacientes acometidos por esta grave situação clinica. Em consequência da ampla atividade inflamatória sistêmica e pelo aumento da permeabilidade da barreira hematoencefálica dos pacientes, com frequência estes pacientes desenvolvem encefalopatia, a qual se manifesta comumente como confusão mental e grave comprometimento de memória, podendo evoluir até o coma e morte. Anteriormente concebida como situação clínica totalmente reversível na maioria dos casos, estudos mais recentes sobre o assunto chamam a atenção para as disfunções neurocognitivas permanentes secundárias a estas situações, mesmo após a total resolução clínica da sepse e suas causas.

Foto: Por Simone Rößling. Fonte: www.humanillness.com.

O processo inflamatório desencadeado pela sepse tornaria os cérebros os pacientes mais susceptíveis a doenças neurodegenerativas, como por exemplo, o desenvolvimento de demência. Os mecanismos envolvidos neste processo seriam alterações do fluxo sanguíneo cerebral, alterações da barreira hematoencefálica, disfunção e morte neuronal, ativação microglial, comprometimento da microcirculação e lesão endotelial.

Novos estudos deverão ser realizados para avaliar de maneira mais adequada estes pacientes sob-risco, e novas técnicas/medidas deverão também ser desenvolvidas para a proteção cerebral de pacientes acometidos por quadros de sepse.

LINK

Widmann et al. Long-term cerebral consequences of sepses. Lancet Neurol 2014;13(6):630-6.

 

** Dr. Orlando é Professor Livre-Docente, coordenador do Setor de Neurologia Geral e Ataxias da Disciplina de Neurologia Clinica UNIFESP