30 março 2015
Categoria: NeuroNews
30 março 2015,
 Off

Por Maramelia Miranda No final de 2014, a New England Journal of Medicine publicou o primeiro grande trial positivo sobre a terapia de trombectomia associada à terapia de primeira linha atualmente existente, rTPA endovenoso – o estudo MR CLEAR –Multicenter Randomized Clinical trial of Endovascular treatment for Acute ischemic stroke in the Netherlands, cujos dados foram apresentados no Congresso Mundial de AVC, ocorrido em Istambul. Este trial, que estudou exatos 500 pacientes, foi precocemente interrompido pelos resultados bons do braço de endovascular.

A terapia endovascular era algo já realizado em grandes centros, pois os resultados excelentes dos casos tratados eram frequentemente observados.

O problema era que o único estudo controlado no tema, o IMS-III, falhou em demonstrar este benefício visto na prática clínica, por problemas metodológicos e por ter sido realizado com dispositivos endovasculares considerados “velhos”, de primeira e segunda geração.

Agora, finalmente, depois de anos e anos acreditando, mas sem ter provas, finalmente chegamos em 2015 com 4 respostas POSITIVAS trazidas pelos estudos controlados e randomizados – MR CLEAN,ESCAPESWIFT-PRIME e EXTEND-IA – de que – sim!!!!  Fazer a trombectomia na fase aguda de AVCinos casos com oclusões proximais, faz diferença. (Veja vídeo com animação de uma trombectomia – AQUI).

covidien-1

Os demais 3 estudos clínicos, junto com mais análises do MR-CLEAN, foram apresentados, em sequência, no último congresso americano de AVC – ISC 2015, ocorrido em Nashville. E este dia, 11 de fevereiro, foi realmente histórico. A plateia que lá estava aplaudiu de pé a apresentação dos autores dos estudos; colegas do mundo todo trocando mensagens, quem não foi ao ISC deste ano, loucos de raiva de terem perdido memorável congresso.

Arrisco dizer que estes estudos foram comparáveis ao dia em que foi publicado o estudo com rTPA no AVCi agudo na NEJM. Comparáveis ao estudo NASCET de 1991 em endarterectomia carotídea.

Comparável aos estudos da Cardiologia Intervencionista, que demonstraram a efetividade da angioplastia primária no tratamento do infarto agudo do miocárdio. Antes disso, a terapia de primeira linha era apenas trombolisar. Depois, passou a ser angioplastia primária. Trombólise sozinha é feita em locais onde não se dispõe de Hemodinâmica cardíaca.

Agora, a nossa “terapia endovascular”, ou seja – “trombectomia+trombólise primária”, será o estado da arte nos casos com critérios para fazê-la.

O novo desafio a partir de agora: Como implantar, disseminar, executar esta terapia em nosso país, onde a triste realidade é de que – ainda em muitos centros, não dispomos de profissionais capacitados para indicar nem mesmo o rTPA EV sistêmico!?

Como formar mais neurointervencionistas, para que estes possam ir trabalhar, abrir, criar mais centros de referência, onde ainda não há estes profissionais?

Isso sim, é um problema. E vai ter que mudar.

LINKS

Acesso aos slides das apresentações, direto da homepage da ISC 2015

LINKS dos Estudos (artigos): MR CLEAN / ESCAPE / SWIFT-PRIME / EXTEND-IA

Abaixo, uma tabela resumindo os dados dos 4 grandes estudos clínicos em trombectomia, estudos que definitivamente mudarão as futuras recomendações no manejo do AVC isquêmico agudo com oclusão de grandes artérias intracranianas. TROMBECTOMIA-RESUME1